Odontologia

odontologia


As Clínicas Odontológicas:

O controle da infecção tornou-se uma grande preocupação dos órgãos reguladores da saúde, dos pacientes e dos profissionais que praticam Odontologia.
Todos os estabelecimentos de prótese odontológica instalados em área física independente aos estabelecimentos de assistência odontológica devem obrigatoriamente ser Licenciados junto ao órgão sanitário competente, e devem obrigatoriamente funcionar na presença física de um Cirurgião Dentista ou de Técnico em Prótese Dental, inscrito junto ao Conselho Regional de Odontologia do seu estado, que assume o papel de Responsável Técnico pelo estabelecimento.

Caracteristicas dos Estabelecimentos de Assistência Odontológica

  • Procedimentos invasivos;
  • Grande risco de transmissão de doenças;
  • Profissional atuando isoladamente;
  • Uso de radiação ionizante.

Estabelecimentos prestadores de serviços de radiodiagnóstico odontológico.

  • Necessitam de laudo radiométrico;
  • Programa de Garantia de qualidade (calibração, manutenção preventiva);

Estabelecimentos prestadores de Serviços de Radiodiagnóstico Odontológico devem seguir orientações contidas na Portaria do Ministério da Saúde que regulamenta tal atividade (Portaria 453 de 1 de junho de 1998 e também Resolução RDC 50 de 21 de fevereiro de 2002.

 


Controles de qualidade:

ESTERILIZAÇÃO - Monitoramento e validação dos processos de esterilização:

Para o controle de qualidade ou monitoramento do processo de esterilização, tanto através da estufa quanto da autoclave a vapor, podem ser utilizados marcadores físicos, marcadores químicos e testes biológicos.


Marcadores físicos:

São aqueles encontrados em fitas adesivas específicas para esterilização a vapor ou calor seco (que ficam listradas após a esterilização), ou papéis de embalagem com marcadores específicos (que mudam de cor após a esterilização). Seu uso é recomendado em todos os pacotes ou caixas, uma vez que indicam pelo menos se o material passou pelo processo. As fitas adesivas marcadoras são distintas para estufa e para autoclave a vapor.
Outro método físico de monitoramento de esterilização, específico para estufas, são os termômetros, que devem ser colocados dentro da estufa, para controle da temperatura. Os termostatos e relógios que encontram-se na parte externa da estufa nem sempre representam uma real avaliação do processo.

 

Métodos químicos:

Consistem em pequenas tiras ou pedaços de papel, contendo um componente químico, que se alastra pelo papel ou modifica sua coloração, tornando o papel ‘marcado’ após o processo. É recomendada a colocação desses marcadores dentro dos pacotes, com periodicidade sistematicamente estabelecida (em cada ciclo de esterilização, diariamente ou semanalmente). Representam maior segurança em relação ao método anterior.


Testes biológicos:

Fornecem maior segurança em relação à qualidade de esterilização. Consistem na colocação de microrganismos vivos dentro da autoclave e seu posterior cultivo, para controle de sua eliminação. Os bacilos utilizados para esterilização a vapor são Bacillus stearothermophillus e para esterilização por calor seco são Bacillus subtilis. Alguns testes comerciais de fácil verificação (cuja cor do meio de cultura se altera na presença do bacilo vivo) já podem ser utilizados por profissionais não especialistas em microbiologia.
As recomendações quanto à periodicidade de realização desses testes biológicos variam de acordo com a legislação de cada estado ou país.
As autoclaves a vapor também devem sofrer um processo de validação, através da realização de testes biológicos em todos os pontos internos da máquina, antes de sua primeira utilização e após cada manutenção.

 

 

Ensaios:

Ensaios Microbiológicos em Água:

  • Contagem de Coliformes Totais;
  • Contagem de Coliformes Termotolerantes;
  • Bactétrias Heterotróficas


Ensaios Físico-Químicos em H2O:

  • Cor Aparente;
  • Ph;
  • Turbidez.

Ensaios da Eficiência da Autoclavação/Esterilidade do Material:

  • Teste de Esterilidade.

 


voltar