GC-FID – ALLCROM

gc-fid-allcrom

O detector de ionização de chama apresenta grande aplicabilidade, alta sensibilidade, estabilidade e uma excepcional resposta linear. Os íons são gerados pela combustão de compostos orgânicos na chama. Não é uma queima que gere dióxido de carbono e água, mas uma ionização propiciada pela alta temperatura da chama de hidrogênio. Um coletor tipo eletrodo cilíndrico colocado a poucos milímetros da parte superior da chama é o lugar em que a corrente iônica é medida, através do estabelecimento de um potencial entre o setor de formação dos íons e o eletrodo coletor. Pequenos sinais de corrente são ampliados e passados para o registrador. A performance do detector é influenciada pela adequada mistura de ar e hidrogênio na chama.
O FID (Flame Ionization Detector) ou conhecido no portugues como DIC (detector por Ionização de Chama) oferece uma leitura rápida, precisa e contínua da concentração total de HC (Hidrogênio e Carbono) para níveis tão baixos como ppb (parte por bilhão).
Tal como o nome sugere, a análise envolve a detecção de íons. A fonte desses íons é uma chama de hidrogênio-ar de pequeno porte.
Acontece a formação de íons quando um composto é queimado em uma chama de hidrogênio e oxigênio, devido a uma capacidade de aumentar a sensibilidade de detecção, no entanto, para a maioria das análises, a utilização de ar comprimido respirável é suficiente. As queimas resultantes de chama em uma temperatura como a pirolize de compostos orgânicos, produz mais íons carregados positivamente e elétrons.

 

Vantagens:

  • Os detectores por ionização de chama são usados para detectar hidrocarbonetos (Hidrogênio e Carbono) como o metano (CH4), etano (C2H6), acetileno (C2H2), etc. Em outras palavras, quase todos os elementos orgânicos podem ser detectados por esse detector.
  • Os que não produzem resposta: H2, O2, N2CO, CO2, CS2, CCl4, peralogenados, NH3, NxOy, SiX4 (X = halogênio), H2O, HCOOH, HCHO.
  • É o método mais usado para análises de compostos orgânicos.

 

 


voltar